sexta-feira, 20 de março de 2009

Anômalo

Quando estarrecido sobre o leito...
Lembro e descubro o vulto impetuoso de meu tempo
No mesmo instante entre os meu dedos
Vem num gesto afoito o grito do sussurro
E nos meus nervos a dor que abriga todo o escuro

Quando estarrecido sobre o leito...
Recordo o verso meu anômalo
Procuro formas que se façam mais despidas
E levo mais perto ao leito as horas idas
Como vestígio desse meu malogro
George Arribas
Posted by Picasa

6 comentários:

  1. TENHO IMENSA ALEGRIA EM LER SEUS POEMAS
    FAZ BEM A ALMA POR TODA SUA BELEZA COM AS LETRAS.

    ResponderExcluir
  2. Amigo mais um belo poema!
    É bom sentir uma imensa humanidade em tudo o que escreves, assim sendo os meus poemas preferidos são:
    Ainda
    Teus sinais
    Estrada
    Oceanos
    Lacrima Tua
    Teu Retrato
    Mosaicos de Mim
    Caminho
    Pulsação
    Infante Derradeiro
    Coisas Talvez...
    Último
    Relógio Novo
    Espelho
    Fingindo
    SIMPLESMENTE FANTÁSTICOS!
    abraço
    Fátima (Mar Azul)

    ResponderExcluir
  3. Como vc me pede pra apontar alguns poemas que mais gosto, se cada dia postar um mais belo que o outro ? Eu só poderei falar que amo todos, todos vem de uma inspiração da alma,que mexe com os nossos sentidos, com uma história vivida ,com um sonho , na verdade nos faz sonhar...
    Bjs !
    Dryka Costa

    ResponderExcluir
  4. Maria Natércia Castanheira Costa23 de março de 2009 18:54

    O meu comentário a este poema dizia.
    Fantástico, como é possível com tão poucas palavras se dizer tanto.

    Só mesmo um poeta!!!
    Abraços

    Natércia Costa

    ResponderExcluir
  5. Poeta seus versos são mágicos,leves,sensíveis, melódicos, suaves...
    Inatingíveis aos mortais - disponíveis aos poetas da escola lírica como a sua.
    Fantástico o seu Recanto, parabens !
    Britto

    ResponderExcluir
  6. Intenso, reflexivo...me fez lembrar (claro, só lembrar!) Augusto dos Anjos...muito bom!

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário