segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Segredo


Até tentei esconder o teu poema...
Te esconder no peito e tive medo
de te guardar pra sempre em meu segredo,
tudo é sem cor se o teu amor não mais me acena.

Até tentei trair o teu poema...
Fazer do adeus um riso louco de partida
fingir a dor - fingindo assim própria vida
que não queria a tristeza como cena.

Até tentei mentir o teu poema...
Te escondendo pelos meus becos e saídas
te revolvendo entre chegadas e partidas
em meus segredos, minha dor e meu dilema

Até tentei fugir do teu poema...
George Arribas
Posted by Picasa

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Lacrima Tua

E uma lágrima caía do teu rosto

Desenhando a contragosto o rosto meu

Confundia o teu palco de desgosto

Escrevendo como oposto o que sofreu


Uma lágrima te corria e te mostrava

Na vitrine da agonia e da tristeza

Pressentia fria a cor da natureza

De tua imagem distante que restava


Como página caída e desbotada

Se perdendo pela dor do que viveu

Eu te escondi numa lágrima sangrada

Uma lágrima que traiu o rosto meu

George Arribas
Posted by Picasa

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Espelho Teu

A tua culpa é a desculpa trépida
Em tua alma escura
Escuta o som na fenda que abre em ti
Uma trincheira nua

É tão intensa a tua imensa culpa
Um sem desculpa preferindo o nada
Fazendo o nada e a mocidade finda
Tão cedo ainda mortificando o mundo
Redondamente impávido, exageradamente imundo

Resgata o tempo que já te receia
No fim do tudo no tudo que te enfeia
Resgata os teus no Deus que não te odeia
Pois fosses tu e não fosse eu
Quem te escrevi pra mim - espelho teu
George Arribas
Posted by Picasa

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Teu Retrato

Fosse a rosa capaz de teu perfume
Tivesse o lume do mundo o teu olhar
Pudesse a vida dencansar sobre o teu cume
Soubesse o sonho em teu sonho, o que é sonhar...

Fosse a beleza perguntar porque és mais bela
Fosse o encanto o teu encanto procurar
Encontraria a poesia mais singela
A que ensina ao próprio amor, o que é amar...
George Arribas

Posted by Picasa