terça-feira, 16 de novembro de 2010

Negresia



Escreve a minha cor sem cor
- a cor que não se fez
Meu despudor descreve a dor de tua cor
- na cor sem vez...

Ufana a sensatez do amor
- que é flor dessa altivez
Porque é livre e emana amor
- a cor de tua tez

George Arribas


9 comentários:

  1. Antonio Valdemar ( PT)17 de novembro de 2010 11:16

    Simplesmente SUBLIME meu amigo...
    Parabens pelo poema...
    Até breve, e obrigado por me enviares essa tua criação...

    Abráço

    António

    ResponderExcluir
  2. O sangue de poeta nunca sai de sua veia.
    Tá lindo, parabéns.
    Que Deus nos abençoe sempre!!
    Beijo carinhoso...
    Adriane

    ResponderExcluir
  3. ARREBENTA grande e AMADO POETA.,
    DEUS TE ABENÇOE,
    ALDO CHAVES

    ResponderExcluir
  4. PARABÉNS MEU AMIGO.
    MUITO BONITO!
    Um forte abraço,
    Fernando Tavares

    ResponderExcluir
  5. Gostei! Arretado!
    Miguel

    ResponderExcluir
  6. Márcio Gondrin (DF)17 de novembro de 2010 14:57

    Parabens por homenagear de forma magnífica o Dia da Consciência Negra.
    Lindo poema libertário !
    Parabens poeta !
    Márcio Gondrin

    ResponderExcluir
  7. Adriana Martins (CE)18 de novembro de 2010 17:26

    Belíssimo poema de amor e liberdade !!!
    parabens !
    Adri

    ResponderExcluir
  8. Profundamente encantada com essa magnífica construção poética.
    Amei esse Recanto e os seus poemas.
    Sula

    ResponderExcluir
  9. Bravíssimo !!!
    Ângelo Bueno

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário